O Projeto

O fundo marinho do litoral brasileiro apresenta um ambiente ainda muito pouco conhecido, os bancos de rodolitos. Estes bancos são construídos por algas calcárias que vivem livres sobre o substrato arenoso, cobrindo grandes extensões da plataforma continental de várias regiões, sendo considerada uma biofábrica de carbonato de cálcio e, por conta disto um dos principais depósitos mundiais desta substância, uma vez que cerca de 90% do seu peso seco é composto por carbonatos (de cálcio e magnésio).

Apesar de estarem amplamente distribuídas em todos os mares, desde a região entre marés até grandes profundidades, de apresentarem grande importância ecológica e econômica, e de estarem até potencialmente envolvidas com os processos globais de controle climático, as algas calcárias não articuladas (Corallinophycidae, Rhodophyta) são pobremente conhecidas no mundo, especialmente no Brasil.

Este blog tem como objetivo transmitir o conhecimento produzido na Universidade para a Sociedade. Esse conhecimento é fruto de diversos projetos, dentre eles:

– Os bancos de rodolitos estarão sendo monitorados para que  os impactos das mudanças no clima e aqueles derivados de estressores locais possam ser identificados, previstos, e quando possível mitigados ou remediados. Esta iniciativa esta sendo promovida pela ReBentos, rede que tem como objetivo a criação e implementação de uma rede integrada de estudos dos habitats bentônicos do litoral brasileiro. Esta rede de pesquisa está vinculada à Sub-Rede Zonas Costeiras da Rede Clima (MCT) e ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Mudanças Climáticas (INCT-MC), para detectar os efeitos das mudanças ambientais regionais e globais sobre esses organismos, dando início a uma série histórica de dados sobre a biodiversidade bentônica ao longo da costa brasileira. No âmbito da rede foi criado um grupo de trabalho para tratar exclusivamente dos bancos de rodolitos, que pretende implementar até o final deste ano de 2013 o protocolo de monitoramento destes ambientes, que ambiciona ser implementado por diferentes instituições no território Nacional. Até o presente momento participam deste grupo de trabalho representantes da UFSC, USP, UFRPE e UFPB.

– O Projeto de Pesquisa “Estudos morfo-anatômicos e moleculares de algas calcárias não articuladas do litoral Brasileiro – subsídios para o conhecimento da taxonomia e biogeografia do grupo” faz parte do Programa de Capacitação em Taxonomia e foi contemplado pelo edital MCT/CNPq/MEC/CAPES/PROTAX nº 52/2010 sob a coordenação do Prof. Dr. Paulo Antunes Horta Junior. Estão envolvidos nesse projeto, direta ou indiretamente, alunos de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado e, com isso, muitas informações e contribuições para o entendimento do grupo, de sua diversidade e importância, serão geradas.

O blog é uma iniciativa multi-institucional, ou seja, membros de diversas instituições de ensino, no Brasil e no mundo, estão colaborando para sua atualização. Por isso, caso você queira escrever um texto, um poema, uma crítica ou compartilhar uma fotografia, não se acanhe em nos escrever (rodolitos@gmail.com), o espaço é aberto!

Marina Sissini

UFSC ReBentos redeclima

Advertisements

2 responses to “O Projeto

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s